VICE-PRESIDENTE DO MPLA AUSCULTA MEMBROS DA SOCIEDADE CIVIL

Os representantes da sociedade civil da província do Uíge, apresentaram, quinta-feira (24) a Vice-Presidente do MPLA, Camarada Luísa Damião, inquietações ligadas a situação económica e social.
JORNAL ÉME - UÍGE 25.06.21 - Os representantes da sociedade civil da província do Uíge, apresentaram, quinta-feira (24) a Vice-Presidente do MPLA, Camarada Luísa Damião, inquietações ligadas a situação económica e social.
No primeiro dia de trabalho no município do Uíge, Luísa Damião concedeu audiências separadas aos líderes de diferentes instituições com o objectivo  de auscultar  e buscar soluções para responder às preocupações dos cidadãos da província do Uíge.
Luísa Damião começou  por ouvir os líderes religiosos, com destaque para o Bispo da Diocese do Uíge, o representante do Conselho de Igrejas Cristãs em Angola (CICA), da Aliança Evangélica de Angola (AEA), da Igreja de Jesus Cristo no Mundo (Tocoísta) e da  Igreja de Jesus Cristo sobre a Terra (Kimbanguista).
Já no segundo momento das audiências,  a Camarada Luísa Damião recebeu os representantes da Associação das Autoridades Tradicionais,  dos empresários e por último o secretário Executivo do Conselho Provincial da Juventude.
No final dos encontros, os representantes entrevistados pelo Jornal ÉME, começando pelo Bispo da Diocesse do Uíge, Joaquim Nhanganga, disse que abordou com a Vice-Presidente do MPLA, preocupações  relativas às vias de acesso aos municípios que precisam de ser melhoradas para ajudar no desenvolvimento da província.
Acrescentou, que felicitou o MPLA pela iniciativa do Presidente da República, João Lourenço, pelo pedido de perdão dirigido recentemente a sociedade pelas vítimas dos conflitos do passado.
Por sua vez, o representante das Autoridades Tradicionais, Miguel Vingo, aproveitou a ocasião para pontualizar sobre a   problemática da energia electrica, água e a situação das crianças que vivem ao redor da fronteira e  frequentam as escolas no Congo Democrático.
Segundo o representante das autoridades tradicionais, a outra situação analisada  no encontro foi o elevado preço das cestas básicas, praticado no mercado que está a criar vários constrangimentos a população e as dificuldades ligadas ao escoamento dos produtos agrícolas. 
E por último, o representante dos empresários na provincia do Uíge, Alcides Nguamimaca, disse que entregou a Camarada Luísa Damião um memorando que espelha a real situação das dificuldades que o sector enfrenta em tempo de pandemia.
"É necessário que o Executivo nos ajude a dinamizar os nossos projectos com financiamentos para  contribuirmos redução do índice de desemprego que se regista na província do Uíge", afirmou.
Texto: NJ/ HT
Fotos:DG

Voltar