SEMINÁRIO NACIONAL DE MARKETING POLÍTICO E ELEITORAL

NTERVENÇÃO DE ABERTURA DO SEMINÁRIO NACIONAL DE MARKETING POLÍTICO E ELEITORAL, PROFERIDA PELA CAMARADA LUÍSA DAMIÃO, VICE-PRESIDENTE DO MPLA, 25 DE MAIO DE 2022
Camarada Paulo Pombolo, Secretário-geral do MPLA;
Camarada Ângela Bragança, Membro do Bureau Político do Comité Central do MPLA e Secretária para o Departamento de Quadros;
Camaradas Membros do Secretariado do Bureau Político;
Camaradas membros do Bureau Político do Comité Central;
Camaradas Directores e chefes de Divisão do Comité Central;
Camaradas responsáveis e dirigentes;

Tenho a subida honra que em nome do Camarada Presidente João Lourenço, endereço-vos as efusivas e patrióticas saudações.
Bom dia.

Saúdo, de modo particular, aos ilustres prelectores deste Seminário, desejando, que se sintam abraçados no espírito de camaradagem que caracteriza a família do glorioso MPLA.

O MPLA reitera os seus profundos agradecimentos pela vossa disponibilidade em partilhar do vosso saber, sobre as matérias inscritas neste seminário, que seguramente vão fortalecer a materialização dos nossos planos tácticos e operacionais, para vencer os desafios políticos e eleitorais de Agosto de 2022 e que se traduza num numa vitória expressiva.

Temos tudo para o alcance de tal desiderato. O Povo acredita e tem confiança e esperança, na liderança do Camarada Presidente João Lourenço, numa altura em que registamos uma grande resposta dos militantes, amigos, simpatizantes e cidadãos eleitores, nos nossos actos políticos de massas e noutros formatos mais estratégicos.

Em boa hora, se realiza este nosso seminário e por isso, quero felicitar e encorajar o Departamento de Quadros, na Pessoa da Camarada Ângela Bragança, Secretária do BP para a Política de Quadros, pela realização desta actividade formativa enquadrada no nosso plano de formação e que se reveste de capital importância.

Este seminário Nacional e os regionais, sobre marketing político e eleitoral, radicam da necessidade de dotar os quadros do MPLA de conhecimentos teórico-prático, nas acções de planeamento, organização e condução das diversas fases da campanha eleitoral.
Nesta era do conhecimento, consideramos fundamental capacitar de forma contínua os nossos quadros com conteúdos de alta qualidade, para fazer face aos fenómenos políticos, económicos e sociais.

Estimados participantes;

Nos dias que correm o marketing político e eleitoral, é sem sombra de dúvida, uma das ferramentas fundamentais para a maximização dos produtos dos partidos e candidatos nas campanhas eleitorais, para cativar a atenção dos eleitores, na medida em que, estamos numa sociedade fortemente mediatizada, o que exige a convocação de técnicas criativas e inovadoras para uma ampla mobilização política dos eleitores.

Os quadros e dirigentes aos vários níveis, têm agora, a excelente oportunidade de elevarem o seu nível de conhecimento e técnicas, que contribuirão para o enriquecimento da abordagem estratégica da comunicação política e Marketing eleitoral nas eleições de Agosto próximo. 
A utilização de técnicas mais modernas para a construção de uma mensagem política mais impactante e mais persuasiva aos distintos públicos de eleitores, é fundamental e agrega um incomensurável valor.

A mensagem por si só, hoje, não é suficiente, é necessário para chegar aos eleitores realizar um trabalho estratégico para preparar a mensagem de forma a ser capaz de ter uma grande atenção e audiência e aqui aparece o lugar do marketing político e eleitoral.
Por tal facto, o MPLA concebeu e aprovou um forte e audacioso Plano de Marketing Político Eleitoral, no âmbito da sua Estratégia de abordagem às eleições gerais, que terão lugar nos próximos três meses.

Estimados camaradas;

A Comunicação política eleitoral no nosso contexto tem o condão de informar, persuadir e mobilizar o eleitor a votar e trabalhar para eleger o nosso Candidato, sendo o Marketing político e eleitoral uma das ferramentas centrais e indispensáveis.

Tem sido unânime reconhecer que, o nível de exigência política e estratégica que se requer das formações habilitadas a participar das eleições que se avizinham em Angola, é maior; tanto mais acentuado em relação às eleições já realizadas nos últimos anos.
Aliás, vale lembrar que não existem eleições iguais. O meio ambiente eleitoral onde elas acontecem está em constante mutação e nós o MPLA temos o profundo conhecimento da realidade.

É facto que, a estrutura etária e psicossocial do eleitorado actual alterou-se consideravelmente. O número de eleitores que votarão pela primeira vez, os chamados "eleitores de primeira viagem” representam uma excelente oportunidade para o MPLA.

De modo genérico, temos, hoje, em Angola, um eleitorado essencialmente jovem; cuja informação e formação da opinião política e social é fortemente influenciada pela sua participação em redes de conectividade e de comunicações, cuja partilha de informações sobre diversos conteúdos, incluindo o político, ocorre à cada vez mais com maior velocidade e facilidade.

A chamada era cibernética veio desafiar a capacidade das organizações políticas e não só, de inovarem, de adequarem-se e adaptarem-se a este novo mundo em rápidas mudanças.

Vivemos hoje numa sociedade cada vez mais global, marcada pela volatilidade da identidade político partidária, mais utilitarista e mais imediatista.

Vivemos num mundo onde, sem perder a sua capacidade de influência, a mídia tradicional vem sendo desafiada pelos novos instrumentos e meios de comunicação, cada vez mais tecnológicos, massivos e de fácil acesso, porém com um risco bastante elevado quanto a credibilidade das suas fontes.

Estimados camaradas;

Teóricos estudiosos do fenómeno eleitoral contemporâneo afirmam que, na presente era da digitalização, vivenciamos uma "verdadeira dissolução da vida social na Tv, no Smartphone e similares; meios cada vez mais acessíveis a todos e em qualquer parte.
Dando lugar a novos eventos políticos, com bastante ênfase em contextos eleitorais, que alguns autores designam por "whatsapização da política” tem funcionado como estratégias de marketing político.

Os participantes deste Seminário Nacional têm o espaço privilegiado para questionarem, contribuírem e quiçá a aprenderem sobre os fenómenos comunicacionais, graças as novas técnicas mais sofisticadas de marketing político e eleitoral amplamente difundidas por intermédio das redes de interconectividade digital ou simplesmente redes sociais.

Gerando, ontologicamente, fenómenos comportamentais de grupos que interferem na formação e consolidação de uma identidade e identificação política mais perene, sendo centrais e determinante para a fixação do seu sentido de voto, do novo eleitorado e não só.
O MPLA é um Partido organizado e que está sempre a estudar, capacitando sempre os seus quadros e dirigentes, para estarem cada vez mais aptos e bastante competitivos para o trabalho e luta política.

Neste sentido, o lugar da formação funcional e sistemática tem prioridade na agenda deste glorioso Partido, na medida em que consideramos a formação um grande investimento sustentável.

Daí, que estamos hoje a reforçar a capacidade dos nossos quadros, em matéria de marketing político eleitoral para continuarmos a identificar oportunidades, evitar surpresas prevendo e adaptando acções, favorecendo a optimização das nossas principais marcas junto dos eleitores.
Parece-nos fundamental, incluir a posterior o lugar da análise de conjuntura que permita rapidamente, aprender o contexto através da pesquisa ou simplesmente a exploração metodológica de todos os dados relevantes sobre o eleitorado.

Esta visão metodológica permitirá a "segmentação do eleitorado”, que não é homogéneo; a produção e "montagem de um conceito político” que promova a "identificação” com o eleitorado e gerar um "Conceito”.

A solidez deste conjunto de actividades anteriores ao marketing político determinarão a eficiência política e uma rigorosa gestão dos meios que permitirão atingir o eleitor.

Estimados camaradas;

Devemos aproveitar ao máximo a experiência dos nossos formadores, para um olhar para a nova tendência política engendrada por grupos de interesses, que se servem das plataformas digitais de interactividade para a difusão de posturas políticas, de uma nova forma de ser e estar na política.

Exploremos igualmente ao máximo, do saber dos formadores em relação a contínua consideração dos fenómenos actuais da comunicação digital, entre elas, as chamadas "fakenews”, os movimentos sociais emergentes que visam a chamada "memeficação da política” e a "infantilização do debate político” nas redes sociais.

Caros camaradas;

Os módulos agendados para este seminário são importantíssimos, desde o marketing político e eleitoral, planeamento estratégico, estratégia de mobilização eleitoral, comunicação política, marketing e comunicação política digital.

Aproveitem ao máximo esta formação. Pois, o conhecimento é hoje um valor ético, cultural e fundamental que promove o desenvolvimento.
Reitero mais uma vez, os nossos agradecimentos aos formadores por terem aceite o convite da Direcção do MPLA, para a partilha das vossas experiências e conhecimentos.

Auguro que haja uma participação activa de todos e que as conclusões e recomendações deste Seminário Nacional, ultrapassem as nossas e vossas expectativas e fortaleçam cada vez mais, o nosso glorioso MPLA da base ao topo.

Com estas palavras, declaro aberto o Seminário Nacional sobre Marketing Político e Eleitoral do MPLA.

MPLA, Paz e Desenvolvimento.
MPLA, a Força do Povo.
A luta continua e a vitória é certa.
Muito obrigada pela atenção dispensada.
Voltar