Presidente João Lourenço rende última homenagem ao General Paulo Lara

General Paulo Lara, falecido no dia 22 de Março de 2022, na Cidade do Porto, República Portuguesa, por doença, aos 65 anos, teve uma irrepreensível folha de serviços prestados à Nação Angolana, destacando-se nos órgãos castrenses onde iniciou carreira em 1972.
PORTALMPLA - 28 de Março (Segunda- Feira) de 2022 - O Camarada João Lourenço, Presidente do MPLA e da República de Angola, rendeu, na manhã desta Segunda-feira, a última homenagem ao General Paulo Laura, cujos restos mortais foram a enterrar no cemitério do Alto da Cruzes, em Luanda.
No livro de condolências disposto do Comando do Exército das FAA, local em que foi velado o corpo do malogrado General, o Presidente João Lourenço destacou o papel desempenhado pelo General Paulo Lara, no âmbito da Associação Tchiweca de Documentação (ATD), de que foi co-fundador e um dos seus impulsionadores.

"Em meu nome, no da minha família e em representação do Executivo angolano, exprimo profundas condolências à inditosa família do General Paulo Lara”, escreveu João Lourenço, na qualidade de Presidente da República.

Por sua vez, a Camarada Luísa Damião, Vice-Presidente do MPLA, qualificou o malogrado general como um "combatente da liberdade”.

"Angola perde um combatente da liberdade que teve participação inestimável nas FAA”, escreveu Luísa Damião, no livro de condolências.

A Vice-Presidente do MPLA escreveu ainda que o General Paulo Lara notabilizou-se também na investigação e deixa um inestimável contributo para a história de Angola.

"Recordaremos, sempre, como um patriota exemplar, que se dedicou à causa de Angola e dos angolanos”, lê-se na mensagem. Filho do nacionalista Lúcio Lara, eminente figura da história de Angola e do MPLA de que foi um dos fundadores, o General Paulo Lara, falecido no dia 22 de Março de 2022, na Cidade do Porto, República Portuguesa, por doença, aos 65 anos, teve uma irrepreensível folha de serviços prestados à Nação Angolana, destacando-se nos órgãos castrenses onde iniciou carreira em 1972, na província de Cabinda, alistando-se como Guerrilheiro do MPLA, tendo cumprido as missões e funções com exemplar sentido de disciplina e organização.

O malogrado general destacou-se, igualmente, pela investigação que realizou sobre o período da Luta Armada de Libertação Nacional e como mentor e Diretor do Projecto "Trilhos da Independência”, que visou recolher e preservar documentos relevantes da memória do período da história de Angola e da luta de todos os povos sob ocupação colonial.

Formado em Ciências Militares e Relações Internacionais, na condição de reformado das Forças Armadas Angolanas, o General Paulo Lara dedicou-se à Docência tendo integrado o Centro Avançado de Estudos Africanos da Universidade Agostinho Neto.
Voltar