MULHERES DA IGREJA METODISTA UNIDA EM ANGOLA EXORTADAS A SEREM SÁBIAS

A Camarada Luísa Damião, Vice-Presidente do MPLA, assistiu o culto do acto central das celebrações dos 137 anos da implementação da Igreja Metodista Unida em Angola, e enalteceu o papel da igreja na moralização da sociedade.
PORTALMPLA - 22 de Março (Terça-feira) de 2022 - As mulheres da Igreja Metodista Unida em Angola foram exortadas a "continuarem sábias e fortes na edificação dos lares e fazer da Igreja um instrumento cada vez mais forte na evangelização da sociedade”.

A exortação foi feita pela Camarada Luísa Damião, em Luanda, no último Domingo (20.03), no templo da Igreja de Bethel, durante a celebração do 137º aniversário da implantação da Igreja Metodista Unida em Angola, ocorrida no longínquo 18 de Março de 1885.

Na mesma ocasião, Luísa Damião exaltou o trabalho desempenhado pela Igreja Metodista Unida na evangelização e nos domínios da acção social, saúde e educação, "visível nos quadros que formou durante todos esses anos”.

"Cada angolano deve fazer uma introspeção para saber qual o contributo que tem dado para se ter uma Angola cada vez melhor”, disse Luísa Damião.

A Camarada Vice - Presidente disse que o MPLA é um Partido que defende a paz, a concórdia e o desenvolvimento, enfatizando que conta com a Igreja Metodista para "continuar a aprofundar o trabalho que tem estado a fazer nestes 137 anos, com muita fé, evangelização, acção social e de educação cívica”.
Sobre as eleições que se aproximam, Luísa Damião espera que sejam realizadas  em clima de uma "grande festa da democracia, pacífica, onde cada angolano possa ter a oportunidade de participar de uma forma cívica”, e para tal, instou os fiéis a continuarem a actualizar os dados eleitorais para estarem aptos a participar naquele grande exercício democrático.

Par além da Camarada Luísa Damião, estiveram presentes ao culto do acto central das celebrações subordinadas ao lema "Povo Metodista, 137 Anos Chamados a Melhorar o Presente Momento”, membros do Bureau Político do MPLA, do Executivo Angolano, representantes de denominações religiosas e de formações políticas, entre outros convidados.
Voltar