DISCURSO PROFERIDO PELA CAMARADA LUÍSA DAMIÃO, VICE-PRESIDENTE DO MPLA, NO ENCONTRO DE RECEPÇÃO DE OPINIÕES DA SOCIEDADE – TERMÓMETRO, EM BENGUELA A 18 DE NOVEMBRO DE 2021

É com imensa satisfação e alegria que saúdo todos os participantes desta edição especial do Encontro de Recepção de Opiniões da Sociedade Angolana, que convencionamos chamar "Termómetro”, inserido no programa das festividades do aniversário da JMPLA. Boa tarde estimados participantes e convidados.
DISCURSO PROFERIDO PELA CAMARADA LUÍSA DAMIÃO, VICE-PRESIDENTE DO MPLA, NO ENCONTRO DE RECEPÇÃO DE OPINIÕES DA SOCIEDADE – TERMÓMETRO, EM BENGUELA A 18 DE NOVEMBRO DE 2021.
Camarada Luís Nunes, Membro do Bureau Político do Comité Central do MPLA e Primeiro Secretário do Partido em Benguela;
Camarada Jorge Inocêncio Dombolo, Membro do Bureau Político do Comité Central do MPLA, Secretário para Organização e Inserção na Sociedade e Coordenador do Grupo de Acompanhamento à Província de Benguela;
Camarada Crispiniano Vivaldino dos Santos, Membro do Bureau Político do Comité Central do MPLA, Primeiro Secretário Nacional da JMPLA;
Excelentíssimo Dr. Fernando João, Secretário de Estado da Juventude;
Camaradas membros do Bureau Político e do Comité Central; 
Estimados representantes das organizações juvenis;
Caros Participantes;
É com imensa satisfação e alegria que saúdo todos os participantes desta edição especial do Encontro de Recepção de Opiniões da Sociedade Angolana, que convencionamos chamar "Termómetro”, inserido no programa das festividades do aniversário da JMPLA. 
Boa tarde estimados participantes e convidados.
É sempre inspirador voltar à Província de Benguela, onde residi por alguns anos e fiz muitas amizades. Aproveito, de modo especial, endereçar um fraterno abraço a toda população desta Província pelo carinho e pela maneira sempre agradável como somos recebidos.
A cidade das acácias rubras é sempre muito acolhedora.
Estimados participantes;
O MPLA tem estado a desenvolver diversas actividades, com a sociedade civil angolana, destacando-se a abordagem de grandes questões nacionais e internacionais.
O Camarada Presidente João Lourenço defende, cada vez mais, a ampliação dos mecanismos de diálogo participativo, aberto, crítico e construtivo, de modo a absorver as contribuições de todas as franjas da sociedade com vista ao reforço da unidade e coesão, da tolerância e reconciliação nacional, atendendo aos desafios do desenvolvimento e do bem-estar das nossas populações.
Nesta edição especial, a JMPLA, organização social do glorioso MPLA, realiza o "Termómetro” sob o tema "O papel dos fazedores de opinião na estabilidade política e social”, um tema bastante pertinente que conta com dois jovens docentes universitários, o Dr. Claúdio Hebo, Sociólogo e pesquisador social, e o Dr. Bali Chionga, Advogado. 
Aos dois jovens convidados e aos caros participantes, aproveito para agradecer, em nome da Direcção do MPLA, por terem aceite o nosso convite. É moderador deste "Termómetro”, o Dr. Ângelo Inocêncio, para quem dirijo igualmente os nossos agradecimentos.    
A participação dos cidadãos na discussão de temas de interesse colectivo e de impacto directo sobre a vida dos angolanos é cada vez mais oportuna para uma coabitação saudável no quadro do reforço da reconciliação nacional e dos valores e princípios de irmandade, que sempre nos caracterizaram.
Com o advento de uma governação mais aberta e participativa, assistimos claramente uma ampliação positiva na observância das liberdades fundamentais, tais como a liberdade de expressão, de reunião e manifestação, e outras; um verdadeiro ascendente em relação ao exercício da cidadania.
Nestes visíveis esforços da liderança do Camarada Presidente João Lourenço, todos devemos fazer a nossa parte, comprometendo-se cada vez mais com a paz, estabilidade social e o desenvolvimento do País.
Estimados participantes;
O MPLA, ciente de que o exercício democrático se faz na diversidade de opiniões, na inclusão e consideração de todas as vozes da sociedade, tem vindo a realizar, pelo país, "Encontros de Recepção de opiniões da Sociedade”, denominado "Termómetro”.
São encontros realizados num formato que privilegia o diálogo aberto, a escuta activa de opiniões de diferentes sectores da sociedade, sobre diferentes temas de interesse nacional da nossa vida política, económica e socio-cultural.
Estimados participantes, 
As sociedades sempre tiveram líderes e fazedores de opinião cuja acção, atitude e comportamento verbalizado ou não, contribuem para a estabilidade política e social. 
Dito de outro modo, os fazedores de opinião são entidades paradigmáticas, actores cuja influência sobre seus públicos podem condicionar a praxis diária, condicionam maneiras de ver, de ser e de estar dos cidadãos perante a sociedade e o mundo em geral.
Daí que os referidos actores, quer actuem no âmbito da interacção real quotidiana, nos mídias tradicionais, na internet, nas redes sociais ou não, têm, à semelhança dos políticos, as mesmas cautelas e responsabilidades na forma e no conteúdo da sua práxis comunicativa. 
Estimados participantes;
O MPLA é um partido que prima pela concórdia e busca a todo custo a estabilidade política e social e, por isso, apela a todos homens e mulheres de bem a trabalharem sempre para a contínua harmonia social.
Temos desafios nacionais que têm merecido contribuições positivas dos fazedores de opinião, assim como na harmonia social, atitude que os mais novos devem seguir, à luz dos nossos usos e costumes, para que possamos engradecer cada vez mais o nosso País.  
Aproveito essa soberana oportunidade para apelar a todos que se consideram ou se reconhecem qualidade de fazedores de opinião a continuarem a promover causas nobres e nacionais. 
Precisamos, por exemplo, disseminar a informação do Estado angolano sobre a necessidade de sensibilização das populações para acorrerem ao registo oficioso. Lançamos o nosso apelo para que os cidadãos maiores de dezoito anos possam se dirigir aos BUAP´s, (Balcão Único de Atendimento ao Público) para tratarem do seu cartão de munícipe e, como disse, o registo oficioso para que possamos todos estar habilitados a exercer o direito de voto em 2022.
Precisamos, igualmente, manter as medidas de biossegurança de prevenção e combate contra a pandemia do coronavírus, covid-19, que ainda não está erradicada. 
Auguro um diálogo saudável e construtivo, em termos de produção de ideias que apontem caminhos que reforcem a nossa forma de ser, de estar e de fazer enquanto angolanos, para uma coexistência cada vez mais pacífica, estável, harmoniosa e que reforce a tolerância na linguagem verbal e não verbal. 
Muito obrigado pela vossa especial atenção.
Voltar