PRESTÍGIO: Mundo reconhece acção de Angola pelos direitos humanos

CREATOR: gd-jpeg v1.0 (using IJG JPEG v80), quality = 70

O País foi eleito, 2ª feira (16), em Nova-Iorque, como órgão especializado das Nações Unidas.

 

Nova Iorque, 17 OUTUBRO 17 (3ª FEIRA) – A República de Angola foi eleita, segunda-feira (16), em Nova Iorque, membro do Conselho de Direitos Humanos (CDH) da Organização das Nações Unidas, para um mandato de três anos, de um de Janeiro de 2018 a 31 de Dezembro de 2020.  

O País obteve 187 votos dos 193 países presentes na plenária da Assembleia-Geral da ONU, sendo o segundo melhor resultado entre os 16 candidatos, apenas superado pelo Senegal, que conquistou 188.

Os demais países eleitos são a Nigéria, República Democrática do Congo (Região Africana), Malásia, Nepal, Paquistão e Qatar (Ásia-Pacífico), Eslováquia e Ucrânia (Europa do Leste), Chile, México e Peru (América Latina e Caraíbas) e Austrália e Espanha (Europa Ocidental e outros Estados).

O Governo angolano apresentou a sua candidatura em 2016, tendo sido endossada pela União Africana em Julho último, durante a cimeira da organização continental. 

O representante permanente de Angola junto dos Escritórios das Nações Unidas em Genebra, embaixador Apolinário Correia, afirmou que é mais um desafio que o País assume, como um Estado comprometido com a promoção e protecção dos direitos humanos, conforme compromisso voluntário, apresentado à Assembleia-Geral.

“Depois de cumprir um mandato de dois anos no Conselho de Segurança (2015-2016), Angola alcança mais uma vitória na arena internacional”, disse o diplomata, considerando este resultado como o reconhecimento, pelos demais Estados, das melhorias que o País tem vindo a alcançar em matéria dos direitos humanos.

De acordo com o embaixador, Angola espera assumir o mandato com base na experiência acumulada nas presenças anteriores no CDH, tendo assegurado que durante o seu mandato vai focar a sua acção na promoção do direito ao desenvolvimento, que é premissa para o cumprimento dos direitos económicos, sociais e culturais, sem desprimor para os direitos políticos e civis.

Angola já fez parte do CDH da ONU, onde cumpriu dois mandatos consecutivos, no período de 2007 a 2013. Antes, o País já havia sido membro da então Comissão de Direitos Humanos da ONU, de 1992 a 1997.

Fundado em 2006, com sede em Genebra, na Suíça, o Conselho de Direitos Humanos da ONU é um órgão subsidiário da Assembleia-Geral das Nações Unidas, constituído por 47 membros. É responsável pela promoção e protecção dos direitos humanos no Mundo.

(Na foto, a Bandeira-Monumento, içada na Fortaleza de São Miguel, em Luanda).

PortalMPLA/AB

Fonte: Emb/NY

Veja todas as notícias