Presidente João Lourenço reitera direito de manifestação

O Camarada João Lourenço, Presidente do MPLA, reiterou, nesta Quinta-feira, (29.10), o direito de manifestação, considerando uma realidade no nosso país, bem como recordou já ter existido em Angola, manifestações pacíficas de protesto ou de revindicação de direitos.
O líder do MPLA manifestou-se indignado com os mais recentes e tristes acontecimentos em Luanda, de desrespeito do Decreto Presidencial, que proíbe ajuntamentos populacionais, protagonizados por um grupo de jovens que cometeram desacatos na via pública, destruíram bens públicos e provados de pacatos cidadão.
João Lourenço reprovou o envolvimento directo da UNITA e seus deputados à Assembleia Nacional, devidamente identificados, e apelou à sociedade angolana para não permitir que partidos políticos com assento parlamentar incitem os jovens e a população para a desobediência civil.
“Este comportamento da UNITA pode comprometer e deitar por terra todo o esforço que a nação vem fazendo desde Março do corrente ano no combate à pandemia, todo o investimento feito em hospitais de campanha, camas e ventiladores e materiais de biossegurança, laboratórios de biologia molecular, o sacrifício consentido todos os dias pelos profissionais de saúde, que arriscam as suas próprias vidas para salvar ouras vidas”, afirmou.
João Lourenço prosseguiu alertando que este comportamento pode levar o país a ter de entrar novamente numa situação de Estado de Emergência, que todos gostaríamos de evitar, pelas consequências graves na vida familiar, social e profissional das pessoas e na economia do país.
Ainda no mesmo discurso, o Camarada João Lourenço afirmou não ser concretizável a estratégia de tornar o país ingovernável para forçar negociações bilaterais no actual contexto político em que as instituições democraticamente constituídas funcionam em pleno. 
“Perante a probabilidade de réplica do que se passou em Luanda pelo país fora, as autoridades competentes vão continuar atentas e cumprir com o seu papel de manutenção da ordem pública e fazer cumprir as medidas tomadas no quadro do Estado de Calamidade Pública”, assegurou João Lourenço, Presidente do MPLA.
O pronunciamento do Camarada Presidente foi feito durante o discurso de abertura da IV reunião ordinária do Comité Central do MPLA, que decorre no Complexo Turístico do Futungo II, em Luanda.

Veja todas as notícias