PONTO DE VISTA: Uma só vontade

“O MPLA não está empenhado numa transformação de fachada da sociedade angolana, mas sim numa tarefa revolucionária”.

Portal MPLA, 16 MARÇO 18 (6ª FEIRA) – Actualmente, duas questões se colocam com acuidade, para a manutenção e permanente superação da acção política do MPLA.

A primeira tem a ver com a observância e defesa da linha política do Partido, que é “em conformidade com os princípios e valores do Socialismo Democrático, que defende a justiça social, o humanismo, a liberdade, a igualdade e a solidariedade”.

As vitórias não acontecem por acaso. Elas conquistam-se.

E o MPLA continuará a conquistar vitórias, através da sua luta tenaz e perseverante pela concretização dos seus desígnios políticos, “designadamente, a liberdade e igualdade política, económica, social e cultural para todos os cidadãos angolanos, independentemente da cor, raça, etnia, religião, sexo ou qualquer outra diferença e a defesa dos valores universais de uma democracia moderna e dinâmica”.

As citações atrás apresentadas estão contidas no importante discurso do Presidente do MPLA, Camarada José Eduardo dos Santos, aquando da recente reunião do Secretariado do Bureau Político com os principais dirigentes dos comités provinciais do Partido, adoptado como documento de estudo para os membros do Partido.

Possuir uma linha política justa é uma condição primária e muito importante. Mas, não basta.

Para triunfar é necessário converter essa política em realidade. Isso, o Partido consegue através da sua organização e trabalho interno.

E é aqui onde reside a segunda questão.

A força do Partido está nas relações que mantém com o povo e na sua capacidade de mobilizá-lo e organizar os seus militantes, através da sua estrutura, que compreende os órgãos de direcção, os órgãos intermédios e os órgãos de base.

Com o trabalho de organização, da acertada selecção dos camaradas e do controlo da execução das directrizes lançadas pelos órgãos dirigentes, assegura-se a unidade de acção dos milhões de membros, os criadores da história.

A única chave, que permite fazer sair de situações difíceis e vencer os obstáculos gigantes, que se colocam pelo caminho, é a unidade e a coesão dos militantes e não só e a sua participação consciente e activa no processo de transformação da sociedade, isto é, de melhorias e correcção do que está mal, sem revanchismos.

O MPLA não está empenhado numa transformação de fachada da sociedade angolana, mas sim numa tarefa revolucionária, “para resolver os problemas do País e melhorar as condições de vida dos angolanos”, como disse o Camarada Presidente. Essa transformação será tanto mais profunda, quanto maior for a consciência dos militantes e do povo, neste processo criador.

E é este factor que dá uma importância especial ao trabalho de organização que o Partido deverá levar a efeito. A linha política do MPLA ver-se-á reforçada pelo imenso trabalho de organização e a isso juntar os êxitos que se pretendem.

É importante salientar que o trabalho de organização do Partido está subordinado inteiramente à linha política definida nos seus Estatutos.

E, ao mesmo tempo, a realização da sua linha política depende do seu trabalho de organização. Compete, pois, aos quadros do Partido cultivar aos milhões de militantes e, também, de outros cidadãos, uma só vontade. Organizar e unificar os seus esforços, em prol dos objectivos traçados.

/Editorial do Jornal ÉME

Veja todas as notícias