OPINIÃO: Miragem da bicefalia - Epinelas Mateus*

Em Angola, vive-se, actualmente, uma transição política pacífica e exemplar.

PortalMPLA, 13 MARÇO 18 (3ª FEIRA) - Quando nos propomos debruçar sobre determinados assuntos, fazemo-lo, antes de mais, com a pertinência e sentido de responsabilidade que se impõem. Não omitimos factos, não forjamos fantasmas, para espalhar boatos, para dividir ou para causar a confusão. Fazemo-lo sempre, acima de tudo, no escrupuloso respeito aos direitos individuais e colectivos de cada sujeito, em determinada acção.

Desde que o Presidente do MPLA, Camarada José Eduardo dos Santos, propôs-se a conduzir a transição política em Angola, surgiram alegações que hoje levam a que alguns dos mais incautos, é claro, deduzam que haja no País uma gestão bicéfala.

Pura ilusão. Se, por um lado, o MPLA é o partido que, por larga maioria do voto popular, obtida nas urnas e no quadro da democracia representativa, tem respaldo para governar Angola, por outro e como é natural, os membros do Executivo são intrinsecamente militantes e dirigentes seus, homens da sua confiança, portanto, escrutináveis pelos princípios que regem os Estatutos partidários e, em supra instância, pela Constituição, como apanágio de um Estado.

Contudo, resta apelar ao bom senso na análise e divulgação de conteúdos, que mais não servem senão para tentar iludir. E julga-se ser esta razão bastante daqueles que, escudados sob a cortina da mentira e da intriga, disseminam insinuações, algumas das quais com roupagem criminosa, mesmo, pretendendo minar a unidade de pensamento e de acção no seio do MPLA e, concomitantemente, a coesão do povo angolano. Debalde.

*Jornalista/Analista político-social /EM/AB

Veja todas as notícias