OPINIÃO: Claras orientações para o sector da saúde – Eduardo Magalhães

“João Lourenço visita os hospitais, fala com os profissionais, ouve os pacientes, para além de levar meios médicos e, nuns casos, até ambulâncias”.

Luanda, 09 JUNHO 17 (6ª FEIRA) - O contacto com os cidadãos é a mais expressiva característica daqueles que possuem a capacidade de liderança e desejo de transformação.

E tem sido esta a prática mais frequente do candidato do MPLA a Presidente da República de Angola. Por isso, o Camarada João Lourenço visita os hospitais, fala com os profissionais, ouve os pacientes, para além de levar meios médicos e, nuns casos, até ambulâncias.

O MPLA tem claras orientações estratégicas para o sector da saúde. Sublinhamos claramente a promoção da melhoria das componentes fundamentais do Índice de Desenvolvimento Humano, em particular da esperança de vida à nascença e a revisão da Política Nacional de Saúde, com ênfase na conclusão dos projectos estruturantes de interesse nacional, sobretudo no domínio das infra-estruturas.

Para refrescar nossas memórias, apesar do período de guerra ter destruído e desactivado uma boa parte das unidades sanitárias do nosso País, houve um esforço tenaz, após a conquista da paz, de reconstrução e de construção de infra-estruturas de saúde em todo País.

O desafio da reconstrução é sempre um esforço maior, pois trabalha com demandas do passado, do presente e do futuro. Ignorar isso é desconhecer qualquer sentido de gestão pública.

Em 1988, Angola tinha cerca de mil e 500 unidades de saúde. Em 2000, o número reduziu para mil, devido à guerra. Em 2012, cresceu para mil e 300.

Actualmente, estão em funcionamento três mil unidades de saúde, entre hospitais e centros de saúde, sem contar com o crescimento do sector privado nos últimos anos, que tem, igualmente, um papel importante na cobertura dos cuidados de saúde às populações.

O que o candidato do MPLA a Presidente da República pretende nessas constatações no terreno é essencialmente liderar o processo de transformação, para que os hospitais sejam, de facto, locais de esperança, onde as pessoas, pobres ou ricas, sejam acolhidas com consideração, respeito e carinho, por profissionais qualificados.

O sector da saúde é uma das prioridades das políticas públicas do MPLA e disso faz questão de demonstrar, permanentemente, o seu candidato a Presidente da República de Angola, Camarada João Lourenço, no centro da foto.

PortalMPLA/EM/AB

Veja todas as notícias