Moxico: Produzir energia para o crescimento da região

Produzir energia para a consolidação dos projectos agro-industriais, assim como para gerar o bem-estar das populações locais.

Luanda, 05 MAIO 17 (6ª FEIRA) - A província do Moxico joga um papel inquestionável no desenvolvimento e na diversificação da economia angolana, sobretudo a partir do momento que passou a produzir energia eléctrica suficiente para impulsionar o desenvolvimento dos municípios do Dala (Lunda-Sul), Camanongue e Luena (Moxico).

O empreendimento foi inaugurado, no passado dia 5 de Abril deste ano, pelo Ministro da Defesa Nacional, Camarada João Lourenço, candidato do MPLA a Presidente da República de Angola, nas Eleições Gerais de 23 de Agosto, deste ano.

A obra inscreve-se no âmbito do Plano Nacional de Desenvolvimento, concebido pelo Executivo do MPLA, e vai contribuir para a consolidação dos projectos agro-industriais, assim como gerar o bem-estar das populações locais. O aproveitamento hidroeléctrico de Chiumbue tem capacidade de gerar 12,42 MW de energia eléctrica através de 4 grupos geradores com turbinas do tipo Francis Horizontal, sendo duas de 4,14 Megawatts e outras duas de 2,07 Megawatts, totalizando 12,42 MW.

Para o escoamento de toda a energia produzida, a central dispõe de uma linha de transmissão de alta tensão de 110 quilowatts, com 298 torres para a cidade do Luena, numa extensão de 99 quilómetros. A obra conta com uma subestação de 110/15 KV junto à central térmica da cidade do Luena, província do Moxico, com dois transformadores de 10 MVA, cada.

No município de Dala existe uma subestação com dois transformadores que tem uma potência de 10 MVA, com tensão de 6,3/110 KV. Para distribuição de energia no município do Dala, foi construída uma rede de média tensão e a instalação dos Postos de tensão monoblocos, num total de seis transformadores com tensão 15/0,4 KV.

O município do Dala, região que alberga o aproveitamento hidroeléctrico, vai beneficiar, numa primeira fase, 320 ligações domiciliárias.

A construção do aproveitamento hidroeléctrico foi iniciada em 1981 e posteriormente interrompida, tendo sido realizadas as obras civis relativas ao açude de derivação, tomada de água, canal de adução, estrutura de transição canal-condutas, ponte de acesso e as terraplenagens gerais relativas às restantes obras.

Naquele período (1981), não foram instalados quaisquer equipamentos nem iniciada a construção do edifício da central eléctrica. Ciente da importância estratégica da obra, o Executivo do MPLA criou as condições para o projecto arrancar em 2014, com a consignação da obra a 10 de Julho daquele ano à empresa Chinesa SinoHidro Corporation, com prazo de execução de 28 meses, com o adicional de mais cinco meses.

Duzentos e noventa e nove trabalhadores nacionais e estrangeiros estiveram engajados na empreitada que vai impulsionar o sector industrial nas duas regiões (Luena e Dala).

Portal/MPLA/JC/JN

Veja todas as notícias