Luanda: OMA acode Centro de Hidrocefalia do Benfica

OMA   

A secretária-geral da organização feminina do MPLA, camarada Luzia Inglês Van-Dúnem “Inga”, na foto ao centro, ofertou (04) bens diversos para os pacientes.  

  

Luanda, 05 JULHO 13 - A Organização da Mulher Angolana (OMA), através da sua secretária-geral, camarada Luzia Inglês Van-Dúnem “Inga”, ofertou (04) bens alimentares e de uso corrente, ao Centro Comunitário de Saúde de Hidrocefalia, localizado na comuna do Benfica, município de Belas, em Luanda.  

Os bens, em quantidades consideráveis, compõem-se por fuba de milho, arroz, óleo alimentar, sabão e material higiénico e foram entregues aos familiares das crianças internadas no referido centro.

O coordenador do centro, o médico Maianda Inocêncio, agradeceu o gesto da organização feminina do MPLA e pediu para que a iniciativa seja seguida por outras organizações, quer políticas, como da sociedade civil.

Antes da entrega do donativo, Inga e a delegação que a acompanhava visitaram as instalações do centro e inteiraram-se do seu funcionamento. Ao redor do mesmo, a comitiva da OMA plantou 30 árvores, para garantir um ambiente mais saudável aos pacientes.

 

Dificuldades e inovação

 

A OMA foi informada, pelo coordenador do centro, da falta de material cirúrgico gastável e de combustível para o abastecimento dos geradores, o que levou à suspensão das cirurgias de hidrocefalia, há cerca de um ano.

Apesar das dificuldades, Maianda Inocêncio revelou que está previsto, para o mês de Agosto próximo, o lançamento oficial da nova tecnologia cirúrgica, denominada “Neuronescópia”.

O novo método permitirá uma cirurgia com a mínima incisão e sem a introdução da válvula que, em muitos casos, tem provocado inchaços ou um maior risco de infecções.

Por sua vez, a secretária-geral da OMA explicou que consta do Plano Nacional de Desenvolvimento, para o período 2013/2017, concebido pelo Executivo angolano, a melhoria dos serviços e de infra-estruturas do sector da saúde, a nível de todo o país.

Inga encorajou as mães a não abandonarem o tratamento médico, apesar das dificuldades que o centro enfrenta, por este ser o melhor caminho para a melhoria da saúde dos seus filhos.

Integraram a comitiva da OMA, a secretária para o Departamento de Solidariedade e Aconselhamento Jurídico, Victória da Conceição, a secretária para o Departamento de Relações Exteriores, Amália Alexandre, a secretária provincial de Luanda, Eulália Rocha e membros do Conselho de Honra.

A Hidrocefalia, também conhecida, vulgarmente, como “água na cabeça”, é uma condição na qual há líquido cérebro-espinhal em excesso, ao redor do cérebro e da medula espinhal.

O líquido cérebro-espinhal actua como uma almofada para o cérebro e a medula espinhal, suprindo de nutrientes e eliminando produtos degradados.

PortalMPLA/ER/AB

Veja todas as notícias