Luanda: MPLA inicia reunião metodológica sobre antigos combatentes

Luanda, 06 SETEMBRO 13 - O MPLA mantém o seu compromisso para com todos os filhos da Nação angolana e considera prioritária a promoção de acções de índole política, social, cultural e de formação, no intuito de dignificar os antigos combatentes e veteranos da Pátria e seus familiares, como prova de valorização da contribuição por eles prestada.

Esta garantia foi expressa, na manhã desta sexta-feira (06), no Complexo Turístico Futungo 2, em Luanda, pelo vice-presidente do Partido, camarada Roberto de Almeida, na abertura da 2ª Reunião Metodológica do Departamento dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria do Comité Central do MPLA, que está a reflectir sobre as formas e mecanismos de tratamento e solução dos problemas que afligem esta franja da população.

Na perspectiva de um melhor atendimento aos antigos combatentes e veteranos da Pátria, o MPLA criou, ao nível da sua estrutura central, um departamento específico, interlocutor junto do Executivo e de diversas associações e organizações, no apoio a estes patriotas e nacionalistas, segundo referiu o vice-presidente.

Roberto de Almeida acrescentou que o Estado angolano, em reconhecimento ao contributo prestado, por valorosos cidadãos, à luta pela independência nacional e pela defesa da Pátria, fez consagrar, na Constituição, mecanismos de protecção ao antigo combatente e ao veterano da Pátria e outros decretos-lei que versam sobre a mesma matéria.

“Consciente das suas limitações no domínio do antigo combatente e veterano da Pátria, o Executivo tem incentivado a criação de entidades singulares ou colectivas, a fim de desenvolverem actividades e acções que concorram para a reintegração socioprofissional e bem-estar do antigo combatente e veterano da Pátria”, sublinhou.

Assim, prosseguiu, criaram-se várias associações e organizações de apoio ao antigo combatente e veterano da Pátria, que são parceiras do Executivo e que têm contribuído, satisfatoriamente, para a solução paulatina de muitos problemas que afligem esses valorosos compatriotas e muitos familiares daqueles que já faleceram.

“Não obstante a criação de todos estes mecanismos de apoio, quer do Partido, como do Executivo e da sociedade civil, que têm desenvolvido um trabalho apreciável, reconhecemos existirem, ainda, muitos pendentes, derivados do incipiente tratamento que tem sido dado à regulamentação criada para a protecção especial dos antigos combatentes e veteranos da Pátria, ocasionando o surgimento de muitas reclamações, cuja solução deve merecer a atenção de todos os intervenientes”, disse.

Neste sentido, o vice-presidente do MPLA pediu às associações, com o estatuto de instituições de utilidade pública, no sentido de fazerem um pouco mais em prol dos seus associados, face à especificidade do seu tratamento, por beneficiarem de apoio financeiro do Estado.

Participam no encontro, que termina ainda hoje, o secretário do Bureau Político do MPLA para os Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, camarada Francisco Magalhães Paiva “Nvunda”, directores dos departamentos e dos gabinetes do Comité Central e representantes das áreas dos Antigos Combatentes dos comités provinciais do Partido.

Pelo Executivo, está, igualmente, presente o ministro dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, camarada Kundi Paihama.

PortalMPLA/Angop/AB

 

 

 

Veja todas as notícias