Luanda (18): MPLA defende inclusão, no ensino, da obra de Neto

*

O secretário-geral do Partido, camarada Julião Mateus Paulo “Dino Matrosse”, sublinhou (17) que isso vai ajudar à uma melhor compreensão da história de Angola. Na foto, da direita para a esquerda, os camaradas Agostinho Neto, Lúcio Lara e José Eduardo dos Santos, numa das muitas actividades políticas do MPLA.

 

Luanda, 18 SETEMBRO 14 (5ª FEIRA) - O secretário-geral do MPLA, camarada Julião Mateus Paulo “Dino Matrosse”, defendeu, quarta-feira (17), em Luanda, a necessidade de inclusão, no curriculum escolar angolano, de matérias relacionadas com a vida e obra do Fundador da Nação e primeiro Presidente da República Popular de Angola, o saudoso Camarada Agostinho Neto, de forma a perpetuarem-se os seus feitos.

Falando, no final de uma cerimónia de deposição de uma cora de flores, no sarcófago do Presidente Agostinho Neto, no memorial a si dedicado, aquele dirigente frisou que o seu legado ajuda as crianças e os jovens a compreenderem, com maior profundidade, a história do país.

“Há, também, muitos adultos que conhecem mal a obra do Presidente Agostinho Neto. A nossa responsabilidade é fazer com que a vida e obra deste grande homem do Mundo sejam conhecidas a todos os níveis”, realçou.

O camarada Dino Matrosse recordou que Agostinho Neto dedicou a toda a sua vida à causa do povo angolano, deixando bem-patente, nos anais da história, um legado de honra. “Ele é o Fundador da Nação angolana, foi o primeiro cidadão a debater-se, para que o angolano exercesse o seu direito de cidadania”, afirmou.

António Agostinho Neto nasceu no dia 17 de Setembro de 1922, na aldeia de Kaxicane, município de Icolo e Bengo, província de Luanda e faleceu a 10 de Setembro de 1979, por doença.

PortalMPLA/AB

Fonte: Angop

 

Veja todas as notícias