JMPLA/8.º CONGRESSO ORDINÁRIO: Discurso de encerramento da Vice-Presidente do MPLA

CAMARADA LUÍSA DAMIÃO: “SÃO INGENTES OS DESAFIOS QUE A JMPLA TEM PELA FRENTE” – 12.10.19.

PortalMPLA, 13 OUTUBRO 19 (DOMINGO) - Texto integral do discurso proferido sábado (12), no Centro de Conferências de Belas, em Luanda, pela Vice-Presidente do MPLA, Camarada Luísa Damião, na sessão de encerramento do 8.º Congresso Ordinário da JMPLA, organização juvenil do Partido:

“Camarada Paulo Pombolo, Secretário-Geral do MPLA e coordenador do Grupo de Acompanhamento às Organizações Sociais do Partido,

Camaradas membros do Secretariado do Bureau Político do Comité Central,

Camaradas membros do Comité Central,

Camarada Crispiniano Vivaldino Evaristo dos Santos, 1.º Secretário Nacional eleito da JMPLA,

Camaradas delegados ao 8.º Congresso Ordinário da JMPLA,

Caros convidados,

As minhas primeiras palavras são de efusivas saudações, a todos os camaradas delegados ao 8.º Congresso Ordinário da organização juvenil do nosso glorioso MPLA e de felicitações ao novo 1.º Secretário Nacional eleito da JMPLA, ao Comité Nacional eleito e ao seu Secretariado, augurando que coloquem todo o seu talento e saber para termos uma JMPLA que corresponda aos anseios e aspirações dos jovens angolanos e continue a ser uma aposta na vitalidade e reforço do Partido.

É profunda a nossa satisfação, face aos resultados do processo de renovação dos órgãos e organismos da JMPLA a todos os níveis e que culminou com a grandiosíssima festa, o 8.º Congresso da JMPLA, a que tenho a subida honra de presidir a sessão de encerramento.

Este congresso entrou para os anais da história da JMPLA, pois, pela primeira vez, o cadeirão máximo de 1.º Secretário Nacional da JMPLA foi disputado por dois candidatos, o que demonstra, de forma clara e evidente, o ambiente democrático que o nosso País está a viver. Estamos plenamente convencidos que o voto foi consciente para responder aos desafios da organização.

Camaradas delegados,

Estar no vosso seio é e será sempre motivo de demonstração do nosso apoio e expressão indispensável da importância que representa a JMPLA, enquanto organização juvenil do MPLA, para debelarmos os desafios do presente e do futuro.

Por isso, todo o apoio aos novos órgãos e organismos da JMPLA e em particular ao camarada 1.º Secretário Nacional eleito e o seu Secretariado serão fundamentais.

Os dirigentes mais experientes que cessaram por imperativos etários e necessários para renovação natural seguramente estarão sempre abertos para a consulta da nova Direcção, para o aprofundar de conhecimentos e a partilha de experiência, visando uma JMPLA mais inclusiva, interventiva e inovadora.

Os jovens que entram pela primeira vez ao Comité Nacional da JMPLA devem ser capacitados com uma sólida formação político-ideológica, inseri-los de forma activa nas estruturas e nas principais acções da JMPLA, de modo a tirar proveitos do seu génio criativo e inovador.

Camaradas delegados ao 8.º Congresso da JMPLA,

Camaradas dirigentes da organização, Vivemos num contexto de rápidas mudanças e de uma série de complexidades, onde coabitam o novo, representado pelas novas forças tecnológicas, inovações, o clássico, o tradicional, forjado ao longo de vários séculos de convivência e de desenvolvimento humano.

Fazem parte hoje do vocabulário corrente da população e, sobretudo, dos jovens termos e conceitos que de forma positiva vieram para ficar, que até pouco tempo estavam apenas circunscritos aos cientistas, como inteligência artificial, internet, big data, robótica, plataformas digitais, empreendedorismo nos mais variados domínios, dentre outros.

O contexto hoje é outro e exige um maior rigor e nível de organização da JMPLA, uma intervenção activa, inteligente, ousada e estratégica, tirando partido dos pontos fortes do ambiente interno da JMPLA e das oportunidades do ambiente externo, obviamente sem esquecer as fraquezas e as ameaças.

Isto quer dizer, uma melhor e forte intervenção no espaço público, combate nas redes sociais, debate político, uma maior inserção e capacidade de mobilização da juventude angolana, em prol do desenvolvimento do País e dos desafios políticos e eleitorais que temos pela frente.

Por tal facto, deve constar como preocupação a contínua melhoria da vida interna da JMPLA, apreensão dos princípios, dos valores da organização e do MPLA, disciplina, unidade e coesão, acima de tudo, muito espírito de solidariedade e iniciativa. São ingentes os desafios que a JMPLA tem pela frente, alguns dos quais expressos no discurso de abertura do Camarada João Manuel Gonçalves Lourenço, Presidente do MPLA, que demandam a convocação de vários saberes dos jovens, o talento e o raciocínio estratégico desenvolvido, capaz de criar soluções inovadoras.

A JMPLA deve prestar especial atenção aos programas que contribuam para uma melhor formação dos jovens, sua inserção no mercado de trabalho, o cultivar de valores patrióticos e o exercício de uma cidadania plena, rumo ao progresso e ao desenvolvimento sustentável.

Reafirmamos a necessidade de continuarem a mobilizar a juventude para a campanha de moralização da nossa sociedade, fazendo ênfase no resgate dos valores patrióticos, éticos, culturais, morais e cívicos.

Nesta sala, é visível o recurso estratégico e mais poderoso, a nossa juventude, a quem a Direcção do MPLA e o seu líder depositam uma plena confiança, para as transformações sociais necessárias e urgentes, prima facie aos desafios que se colocam ao Partido, acima de tudo e, em primeiro lugar, à Pátria, que requer verdadeiros patriotas e prestando uma especial atenção à jovem mulher.

Camaradas delegados,

A JMPLA é força do MPLA, conferindo-lhe o estatuto natural de viveiro de militantes e quadros do MPLA. É, na verdade, onde se preparam os quadros, o lugar que o Partido lhe reserva, lhe imputa responsabilidades acrescidas, tendo em conta os objectivos da JMPLA.

Finalmente, desejo que o novo Comité Nacional eleito valorize - não tenho dúvidas - o voto expresso nas urnas e o virar de uma nova página na história da JMPLA, através da rigorosa materialização do Plano Programático da JMPLA e da observância dos seus Estatutos.

Uma palavra de apreço à Direcção cessante, que prestou o seu contributo no fortalecimento da JMPLA, com particular realce para o camarada Sérgio Luther Rescova Joaquim, que assumiu a organização aos 29 anos de idade e, 10 anos depois, lhe foi depositada a confiança para ser o mais jovem governador da província de Luanda, numa prova inequívoca da aposta do MPLA na juventude angolana.

Ao camarada Francisco Boaventura Chitapa, endereçamos uma palavra de carinho por ter colocado todo o seu talento e saber, dando continuidade aos trabalhos da organização, destacando a preparação deste grande evento.

Auguro a todos os delegados ao 8.º Congresso Ordinário da JMPLA um bom regresso à casa, cientes das responsabilidades e desafios que vos são incumbidos e, como disse ab início, que se espera uma devida resposta e à medida da nossa organização juvenil.

Muito obrigado pela vossa especial atenção”.

/www.mpla.ao

/Foto: DG

Veja todas as notícias