Efeméride: Fundador da Nação Angolana faleceu há 36 anos

O saudoso Camarada Presidente Agostinho contava, em 10 de Setembro de 1979, 56 anos de idade. No dia 17 do mesmo mês, uma semana depois, faria 57.

Luanda, 09 SETEMBRO 15 (4ª FEIRA) - O calendário assinala, nesta quinta-feira (10), 36 anos do falecimento, por doença, do Fundador da Nação Angolana e primeiro Presidente da República Popular de Angola, o saudoso Camarada Presidente Agostinho Neto.
António Agostinho Neto nasceu a 17 de Setembro de 1922, na aldeia de Caxicane, município de Icolo e Bengo, província de Luanda. Foi médico, formado nas universidades de Coimbra e de Lisboa, em Portugal.
Em 11 de Novembro de 1975, após conduzir uma longa Luta de Libertação Nacional, à frente do MPLA (Movimento Popular de Libertação de Angola), que durou 14 anos, contra o colonialismo português, proclamou a Independência Nacional de Angola.
Antes, fez parte da geração de estudantes africanos, em Portugal, que viria a desempenhar um papel decisivo na luta pela independência dos respectivos países.
Foi preso pela PIDE, a então polícia política portuguesa e deportado para o Tarrafal, uma prisão tenebrosa em Cabo-Verde, sendo-lhe, depois, fixada residência em Portugal, de onde fugiu, para liderar o movimento libertador angolano.
No exterior de Angola, já no Congo-Kinshasa, assumiu, em 1962, a Direcção do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), do qual já era Presidente Honorário, desde 1961.
Em paralelo, desenvolveu uma actividade literária, escrevendo, nomeadamente, poemas, que são uma verdadeira relíquia para a história da luta do povo angolano, pela sua emancipação e autodeterminação.
Tendo o MPLA saído vencedor dessa longa epopeia, Agostinho Neto proclamou, em 11 de Novembro de 1975, em Luanda, a capital, perante a África e o Mundo, a independência do país, constituindo-o em República Popular de Angola.
Num sistema de partido único, então em voga em grande parte do Mundo, Agostinho Neto assumiu os cargos de Presidente do MPLA e da República Popular de Angola e o de Comandante-em-Chefe das FAPLA (Forças Armadas Populares de Libertação de Angola – o então exército nacional único).
Três anos e nove meses depois da proclamação da Independência Nacional de Angola, o Camarada Presidente António Agostinho Neto faleceu, aos 56 anos de idade, uma semana antes de completar 57, num hospital de Moscovo, então União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), hoje Federação da Rússia, no decorrer de uma intervenção cirúrgica, numa malograda tentativa de salvá-lo.
Assim, numa altura em que o país aprestava-se para dar corpo a uma das mais significativas promessas do Programa Maior do MPLA, a instituição da Assembleia do Povo, como órgão supremo do Poder de Estado em Angola, o povo angolano sofria um dos maiores reveses da sua longa e gloriosa trajectória, com o desaparecimento prematuro do seu Líder e Fundador da Nação.
Mas, o MPLA-Partido do Trabalho soube honrar o legado do saudoso Presidente Agostinho Neto, Herói Nacional, seguindo o seu exemplo de líder incontestável do povo angolano.
Em 20 de Dezembro de 1979, o Comité Central do Partido encontrou a força necessária para continuar a Revolução Angolana, elegendo, para Presidente do MPLA, o Camarada José Eduardo dos Santos, que, no dia seguinte, assumiu os cargos de Presidente da República e o de Comandante-em-Chefe das Forças Armadas.
Caso estivesse vivo, o Camarada Agostinho Neto completaria, a 17 de Setembro corrente, 93 anos de idade.
PortalMPLA/AB

Veja todas as notícias