DISCURSO DE ABERTURA DA CAMARADA LUÍSA DAMIÃO, VICE-PRESIDENTE DO MPLA, PROFERIDO POR OCASIÃO DO ENCONTRO NACIONAL SOBRE O SECTOR SOCIAL, MARÇO DE 2020.

Camarada Paulo Pombolo, Secretário-Geral do MPLA;

Camarada Bornito de Sousa, Vice-Presidente da República;

Camaradas Membros do Secretariado do Bureau Político do Comité Central do MPLA;

Camarada Carolina Cerqueira, Ministra de Estado para Área Social;

Camarada Luther Rescova, Primeiro Secretário Provincial do MPLA e Governador da Província de Luanda;

Camarada Yolanda dos Santos, secretária do Bureau Político para a Política Social;

Camaradas Ministros de Estado e dignos Auxiliares do Poder Membros do Executivo;

Camaradas Directores do Comité Central;

Camaradas dirigentes e Quadros das Distintas Estruturas do MPLA;

É com imensa satisfação que em nome do Camarada João Lourenço, Presidente do MPLA, tenho a honra de saudar a todos os participantes a este Encontro Nacional sobre a implementação dos programas do Sector Social, à luz do PDN 2018-2022.

A realização deste Encontro visa analisar o grau de implementação das acções do sector social no quadro do PDN 2018-2022.

As referidas acções revestem-se de capital importância, pois, inscrevem-se numa área crucial e fulcral, para a resolução dos problemas do povo. Corporiza assim, a palavra de ordem do fundador da Nação, o saudoso Presidente Dr. António Agostinho Neto, segundo a qual
“O mais Importante é!
Resolver os Problemas do Povo.

A nossa luta é incessante, pelo que, jamais prescindiremos deste desiderato, a resolução dos problemas da população, tão almejado pelos pais fundadores que iniciaram a luta de libertação Nacional, com suor e sangue, cujo legado continua a inspirar as nossas acções.

Neste particular, e conforme disse, com muita firmeza, o Camarada Presidente João Lourenço no seu Discurso de tomada de posse como Presidente da República e eu cito: “A redução das desigualdades sociais passam por uma maior aposta no sector social, nomeadamente no acesso à educação e ao conhecimento, à assistência de base para todos, à segurança social e à assistência aos mais vulneráveis e desfavorecidos”.

A esse respeito, o Camarada Presidente acrescentou ainda “Para além das tarefas prioritárias já mencionadas, temos, pois de promover o Estado social, com políticas de inclusão económica e social e de redução das desigualdades, apostando no desenvolvimento com grande ênfase no meio rural e no aumento da produção interna, agrícola e industrial”.

Caros camaradas;

Diante deste desafio, em que os recursos são escassos e as necessidades ilimitadas, impõe-se uma gestão parcimoniosa e rigorosa do erário público, o combate cerrado as más práticas, tais como a corrupção, o nepotismo e a impunidade, contra os quais, o MPLA propôs-se corrigir e lutar.

Daí, a necessidade das reformas que têm sido introduzidas em diversos sectores da vida social e económica para dar aos cidadãos angolanos, independentemente, da sua cor, raça, credo ou filiação político-partidária, a possibilidade e a oportunidade de conseguir usufruir com qualidade os serviços sociais à sua disposição.

Desde logo, é fundamental a adopção de uma nova cultura de gestão pública, que se quer cada vez mais desburocratizada e moderna, que transforme as mentalidades sobretudo dos quadros que têm a missão de implementar políticas públicas e sociais, para o alcance dos objectivos das mesmas, com eficácia, eficiência e efectividade.

Por tal facto, o MPLA considera que todas as políticas económicas e sociais tenham em conta a elevação do bem-estar do Povo Angolano, sendo o destinatário dessas políticas.

O povo é o ponto de partida e de chegada, de tal modo, que é crucial a mobilização dos cidadãos para sua participação consciente nos processos de transformação social, que garantam a autonomia, a integração comunitária e o protagonismo social dos grupos mais vulneráveis, pugnando pela resolução prática e activa dos problemas que dizem respeito ao sector social.

Caros participantes,
Minhas senhoras e meus senhores,

Foram convocados para análise e debate, neste Encontro Nacional do Sector Social, temáticas actuais e actuantes, tais como: a saúde, educação, juventude e desportos, acção social e promoção da mulher, a questão da merenda escolar, programas habitacionais, entre outros, para análise da materialização do Programa de Governação do MPLA 2017-2022, no sector social.

Auguro que da análise e do debate se produzam saberes que enriqueçam as estratégias para a contínua implementação de acções que contribuam para os desafios que se registam no sector social e que exigem a participação de todos os angolanos.

Caros camaradas;

O tempo urge. Devemos continuar a criar as condições objectivas conducentes à resolução dos problemas sociais, que orgulhem e façam felizes, as gerações presentes e futuras.

É este o sentimento que deve continuar a guiar o exercício da responsabilidade que nos é acometida, servir os angolanos em qualquer canto deste imenso país, onde quer que estejam, possam sentir o impacto das políticas públicas e sociais no seu quotidiano.

É este o sentimento que impulsiona os quadros e dirigentes neste encontro do sector social, para uma profunda análise do cumprimento das metas do PDN para o quinquénio, resultantes do compromisso assumido com os angolanos em 2017.

Com essas palavras, declaro aberto o Encontro Nacional sobre a Implementação dos Programas do Sector Social do Plano de Desenvolvimento Nacional 2018-2022.

VIVA O MPLA!

VIVA O CAMARADA PRESIDENTE JOÃO LOURENÇO!

MPLA - MELHORAR O QUE ESTÁ BEM, CORRIGIR O QUE ESTÁ MAL

A LUTA!

A VITÓRIA!

MUITO OBRIGADA!

Veja todas as notícias