Deputada Ana Maravilha: Família e escola são instituições fundamentais

Intervenção, sexta-feira (20), em Luanda, da parlamentar do MPLA, pelo Círculo Nacional, camarada Ana Maravilha Borges Alé Fernandes, na foto, no debate do mês de Maio de 2016 da Assembleia Nacional de Angola, sobre o tema “O papel da família no resgate dos valores éticos, cívicos, culturais e morais”.

 

Luanda, 27 MAIO 16 (6ª FEIRA) - Intervenção, sexta-feira (20), em Luanda, da parlamentar do MPLA, pelo Círculo Nacional, camarada Ana Maravilha Borges Alé Fernandes, na foto, no debate do mês de Maio de 2016 da Assembleia Nacional de Angola, sobre o tema “O papel da família no resgate dos valores éticos, cívicos, culturais e morais”:

“Dirijo-me a esta Assembleia para, em primeiro lugar, valorizar a iniciativa do meu Grupo Parlamentar, em realizar este debate sobre um tema actual, que nos preocupa a todos. Trata-se pois, do papel da família no resgate dos valores éticos, cívicos, culturais e morais.

Gostaria de saudar a equipa que trabalhou na elaboração do Relatório, que nos permitirá promover um debate em que, juntos, possamos trazer subsídios que contribuam para a solução do resgate dos valores acima referenciados.

Partimos do princípio que, segundo as escrituras, a família é um núcleo criado por Deus. Logo, Deus deve estar no centro da família. E como Deus é amor, o amor deve primar e reinar entre os membros da família.

A família é considerada a mais importante célula de todos os grupos sociais, pois, é através dela que aprendemos a perceber o Mundo e a nos situarmos nele. É através da família que formamos a base do processo da socialização.

Entendo que a construção do progresso implica a existência de valores, que ajudem o país a ter homens e mulheres bons e íntegros, focados na edificação do bem comum.

Considero que deve ser uma preocupação de toda a sociedade a construção deste bem comum, para que tenhamos uma comunidade em que os cidadãos sejam promotores de acções que vão, por exemplo, ao encontro da defesa da dignidade da pessoa humana.

Louvo, desde já, as diferentes iniciativas levadas a cabo, designadamente os projectos consignados no Plano Nacional de Desenvolvimento 2013/2017 dos diferentes departamentos ministeriais, que concorrem para a harmonização das famílias angolanas.

Saúdo a reafirmação do MPLA em consolidar os programas já existentes e conceber outros novos, em matéria de resgate dos valores éticos, morais, cívicos e culturais. 

 

Excelência senhor presidente,

Dignos deputados,

 

Vários são os factores que concorrem para a degradação dos valores morais, éticos, culturais e cívicos, como, por exemplo, a inexistência do temor de Deus, a falta de amor ao próximo e a falta de diálogo no seio da família.

Mas, quero ater-me à forma de utilização das novas tecnologias de informação e comunicação, que, embora em grande medida vieram facilitar as formas de integração e interacção social, por estarem presentes em todas as esferas da vida social, económica, profissional, cultural e familiar, jogam, também, um papel perigoso quanto ao fenómeno da aculturação e, ultimamente, vêm substituindo o lugar do diálogo que deveria existir entre os membros da família.

Daí que é, de todo, avisado a educação dos cidadãos, no geral e dos membros da família, em particular, na utilização correcta destes meios de informação e comunicação, a fim de os mesmos serem um dos veículos de promoção, de estabilidade social e do bem-estar em Angola.

 

Excelência senhor presidente,

Dignos deputados,

 

A última frase do 3º extracto dos pronunciamentos públicos de Sua Excelência Presidente da República, Engenheiro José Eduardo dos Santos, referido na página 11 do Relatório em debate e eu cito: “Nenhum esforço é demasiado para resgatar a dignidade e a integridade moral e espiritual das nossas famílias”, fim de citação, demonstra a preocupação que o nosso Presidente da República tem para com a tranquilidade e a paz de espírito, que deve reinar no seio das famílias.

Por isso, as igrejas, como parceiras do Estado, são chamadas, mais uma vez, a continuar a jogar o seu papel na educação espiritual e no resgate dos valores que dignificam o homem.

A família e a escola são instituições fundamentais da sociedade, com papéis diferenciados que contribuem positivamente para o resgate dos valores em causa.

Pelas razões acima evocadas, considero que o amor ao próximo, a educação familiar e o diálogo são ferramentas cruciais que contribuem para a coesão no seio das famílias e ajudam a dirimir os vários conflitos no seu seio.

Considero, também, que o resgate dos valores, éticos, cívicos, culturais e morais é um compromisso e um desafio de todos os angolanos.

Assim sendo, apelo para que, juntos, continuemos a trabalhar na implementação de políticas integradas que facilitem o resgate da dignidade e do papel social da família e da sociedade.

Para terminar, gostaria de dirigir uma palavra aos artistas, para que possam contribuir no resgate dos valores morais e culturais, através das suas letras, canções, danças, poesias e outras manifestações artísticas, porque considero que as artes, nas suas mais variadas vertentes, podem contribuir positivamente para a mudança de mentalidade das pessoas, exprimindo sentimentos e valores sãos, que enobrecem uma sociedade”.

PortalMPLA/AM/AB

Veja todas as notícias