CUANDO-CUBANGO: Ex-dirigente da CASA-CE faz revelações arrepiantes

Fernando Hono, na foto com outros novos militantes do MPLA, aconselhou todos os ex-colegas a reflectirem bem sobre o caminho que querem seguir.

Menongue, 18 OUTUBRO 16 (3ª FEIRA) - Fernando Hono, ex-secretário provincial adjunto do Cuando-Cubango da CASA-CE para a Organização, é um dos sete altos dirigentes deste partido da oposição que, no início de Outubro corrente, filiou-se nas fileiras do MPLA. No dia três, ele fez sete revelações muito arrepiantes.

Primeira revelação: a CASA-CE está a contrair dívidas avultadas no exterior de Angola, tudo isso na ânsia de tentar conquistar o poder a qualquer preço e a todo o custo. (E exortou todos os seus ex-colegas para reflectirem bem sobre que caminho pretendem seguir).

Segunda revelação: os fiscais da CASA-CE, no Cuando-Cubango, são escolhidos, na sua maioria, entre familiares e amigos e não acompanham o processo de actualização dos dados do registo eleitoral e de prova de vida dos cidadãos. Nunca se fizeram presentes aos postos montados.

Terceira revelação: a CASA-CE é uma autêntica fotocópia e força política alternativa da UNITA.

Quarta revelação: Abel Chivukuvuku está a enganar o povo angolano e os seus aliados, para, depois de transformar a coligação em partido político, dar espaço e poderes apenas aos seus familiares e aos membros provenientes da UNITA.

Quinta revelação: na CASA-CE há sempre conflitos. A primeira-secretária provincial, Suzana Sara “Suzi”, tem um comportamento pouco cívico, porque trabalha constantemente embriagada, estado em que se apresenta, até mesmo nas reuniões. Além disso, falta sempre ao respeito aos militantes.

Sexta revelação: a nível da província, a CASA-CE encontra-se dividida em alas, sendo uma a de Feliciano Chinengo, outra a de Domingos Muleleno e a última a de Suzana Sara “Suzi”.

Sétima revelação: na CASA-CE não existe nem democracia, nem transparência na gestão financeira e patrimonial, o que tem gerado litígios no seio dos seus dirigentes.

Conclusão única: “Por esta e por outras irregularidades, decidimos deixar, definitivamente, esta organização, que poderá surpreender negativamente o país, no futuro, tão-logo passe a partido político”. (Na foto, os sete altos ex-dirigentes da CASA-CE que se juntaram ao MPLA, a três de Outubro corrente).

PortalMPLA/AB

Foto: JA

Veja todas as notícias