CUANDO-CUBANGO/CAMPANHA 2017: MPLA exalta cabos eleitorais

O secretário-geral, camarada Paulo Kassoma, na foto ao centro, trabalha na província, na educação dos militantes para o voto certo.

 

Menongue, 01 AGOSTO 17 (3ª FEIRA) - O secretário-geral do MPLA, camarada Paulo Kassoma, na foto ao centro, exaltou, segunda-feira, 31, a importância dos cabos eleitorais na mobilização e na instrução dos militantes, simpatizantes e amigos do Partido para que no dia 23 de Agosto todos votem correctamente, no número 4 e no candidato a Presidente da República de Angola, Camarada João Lourenço.

Paulo Kassoma evocou a figura do cabo eleitoral durante encontros realizados com as populações dos bairros da Paz e Hoji-ya-Henda, situados na periferia da cidade de Menongue, a capital da província.

Acompanhado de outros membros do Bureau Político do MPLA, nomeadamente os camaradas Ferreira Pinto, Pedro Mutindi e Luísa Damião, o secretário-geral do Partido auto-elegeu-se, no momento, cabo eleitoral e orientou que essa função seja desempenhada por todos, sem distinção, pois ela deve ser “o pão nosso de cada dia”, do militante dedicado.

Ciente da importância de se educar o cidadão a cuidar do respectivo Cartão de Eleitor e a memorizar os procedimentos no acto da votação, Paulo Kassoma insistiu que é fundamental multiplicar o número desses mobilizadores, para que todos os militantes do MPLA estejam preparados para votar no candidato João Lourenço.

Na quarta-feira, 02, último dia de estadia, Paulo Kassoma vai orientar, na capital da província, um acto político de massas, no quadro da actual campanha, que vai levar o MPLA e o seu candidato a Presidente da República de Angola, Camarada João Lourenço, à vitória, no dia 23 de agosto próximo.

De recordar que o secretário-geral do MPLA chegou segunda-feira, 31, a cidade de Menongue, para, durante três dias, manter contacto directo com os eleitores e com os vários segmentos da sociedade civil.

Nas Eleições Gerais de 2012, o MPLA venceu por 4/1 no Círculo Provincial do Cuando-Cubango, sudeste de Angola, ocupando, por isso, quatro dos cinco assentos parlamentares, com 78,09 por cento, dos 108 mil e 520 votos válidos.

Portal/MPLA/JC/AB

Foto: DG

Veja todas as notícias