COVID-19 Vigilância sanitária reforçada nas fronteiras angolanas

Apesar do país continuar sem registos de nenhum caso positivo de coronavírus, (COVID-19), nos próximos dias serão reforçadas as medidas de prevenção e vigilância epidemiológica e sanitária nas zonas fronteiriças angolanas, tendo em atenção o aumento de casos no mundo.

O anúncio foi feito na quarta-feira (11), em Luanda, pelo Secretário de Estado para Área de Saúde Pública, Franco Mufinda, que apontou as fronteiras das regiões norte e leste como as que vão merecer maior atenção, por causa do surgimento do primeiro caso de COVID-19 na vizinha República Democrática do Congo (RDC).

Será igualmente reforçada a vigilância sanitária nos aeroportos e portos, em função do aumento do número de casos nos países de maior proximidade geográfica e histórica com Angola, como são os casos de Portugal, Brasil e a África do Sul.

As medidas de prevenção passam, essencialmente, pela disseminação de informações úteis, como a lavagem e desinfestação frequente das mãos, tapar a boca ao tossir ou espirrar, bem como evitar apertos de mãos no acto de saudação e aglomerações de pessoas nos eventos, disse o governante.

Ainda na quarta-feira (11), a Organização Mundial da Saúde declarou o COVID-19 como uma pandemia, por atingir uma dimensão inter-continental e se expandir rapidamente para quase todos os países do mundo.

Veja todas as notícias