Comunicado do BP do MPLA pelo falecimento de Maria do Carmo Medina

A Direcção do Partido exaltou (11) a contribuição da ilustre desaparecida, juíza jubilada do Tribunal Supremo da República de Angola, à causa do povo angolano.

Luanda, 11 FEVEREIRO 14 – “Foi com profunda dor e consternação que o Bureau Político do MPLA tomou conhecimento do falecimento da camarada Dr.ª MARIA DO CARMO MEDINA, juíza jubilada do Tribunal Supremo da República de Angola, ocorrido, nesta segunda-feira, dia 10 de Fevereiro de 2014, em Portugal, por doença.
Militante antifascista do então MUD-Juvenil, em Portugal e, posteriormente, do MPLA, em Angola, a camarada Dr.ª MARIA DO CARMO MEDINA, que contava 88 anos de idade, destacou-se pela sua participação em quase todos os julgamentos de presos políticos angolanos, donde sobressai o célebre Processo dos 50, ocorrido em 1959, representando-os em inúmeras petições e recursos administrativos, dirigidos às autoridades coloniais.
Integrante da delegação do MPLA às negociações dos Acordos de Alvor, em 1975, a ilustre desaparecida desempenhou, entre outras, as funções de secretária para os Assuntos Jurídicos da Presidência da República de Angola, em 1976, de vice-presidente do Tribunal Supremo, em 1990 e de presidente da Mesa da Assembleia-Geral da Associação Angolana de Mulheres Juristas, em 1995.
Nesta hora de luto e de dor, o Bureau Político, em nome dos militantes, simpatizantes e amigos do MPLA, endereça à família enlutada as suas mais sentidas condolências.
PAZ, TRABALHO E LIBERDADE
A LUTA CONTINUA
A VITÓRIA É CERTA.
Luanda, 11 de Fevereiro de 2014.
O BUREAU POLÍTICO DO MPLA”.
PortalMPLA/AB

Veja todas as notícias