ARQUITECTO DA PAZ: Angola não é Portugal, Cabo-Verde ou Senegal

In Mensagem sobre o Estado da Nação angolana, de 17.10.16.

 

Luanda, 24 OUTUBRO 16 (2ª FEIRA) – “Não podemos falar do nosso país como se estivéssemos a falar de Portugal, de Cabo Verde ou do Senegal. A nossa história não é igual, nem parecida, com a dos outros.

O nosso povo está consciente desse facto e sabe o que quer e como construir o seu futuro. Por essa razão, escolheu o caminho da diversificação da economia e está, com realismo, a dar passos seguros para conseguir este objectivo.

A implementação dos Projectos Estruturantes de Investimento Público, aprovados durante o mandato, está em curso e a bom ritmo, como comprovam a conclusão da segunda fase da Barragem de Cambambe, cujo alteamento vai garantir uma potência adicional de 780 megawatts aos actuais 180; a construção da nova Barragem de Laúca, a terminar no próximo ano, com uma potência de dois mil e 67 megawatts; bem como a construção da Central do Ciclo Combinado do Soyo, utilizando gás natural para gerar uma potência de 750 megawatts, também a partir do próximo ano.

Este impressionante aumento da potência eléctrica é associado ao esforço gigantesco que está a ser feito, para aumentar a produção de água potável e do sistema de Telecomunicações e dos Transportes, para apoiar o desenvolvimento da produção e melhorar o acesso das famílias a esses bens, garantindo a transformação da estrutura económica nacional”.

(In Mensagem sobre o Estado da Nação angolana, de 17.10.16).

PortalMPLA/Sede Nacional do Partido

 

Veja todas as notícias