“Foste uma mulher de corpo inteiro, de alma e coração límpidos”

Elogio Fúnebre

Texto integral do Elogio Fúnebre do Secretariado Executivo Nacional da OMA, lido (06), no Cemitério do Alto das Cruzes, em Luanda, pela deputada Carolina Cerqueira, dirigente da organização feminina do MPLA, pelo funeral da camarada Alice Dombolo.

Luanda, 06/03 - “Quis o destino, camarada Alice, que nos deixasses, fisicamente, durante a jornada da mulher e que o último adeus fosse neste sexto dia de Março, o nosso mês, o mês de todas as mulheres.

Hoje, aqui e nesta Angola imensa, chora-se a partida inesperada e prematura de uma esposa dedicada, mãe extremosa, irmã de todas as horas, camarada solidária e amiga de todos nós.

Tudo isto justifica a nossa presença aqui, não só das milhares de mulheres, que muitas vezes acarinhaste e confortaste, mas, também, de muitos cidadãos, alguns dos quais anónimos, a quem estendeste o teu coração grandioso, sempre com uma palavra amiga, um gesto confortante, através de uma advocacia permanente, em defesa dos direitos das mulheres e das pessoas mais vulneráveis.

A tua forte personalidade, de mulher decidida e determinada, escondia uma sensibilidade extraordinária, que emergia nos pequenos gestos e nas grandes decisões, que muitas vezes assumiste.

Se nos fosse solicitado para descrever-te em poucas palavras, diríamos que foste uma mulher de corpo inteiro, de alma e coração límpidos, preenchidos de uma compaixão incomensurável.

A tua presença exalava alegria, conforto, confiança, certeza nos momentos de grande decisão, que fizeram de ti uma verdadeira líder, personalizando, também, a consequência, a força e perseverança da política, no feminino.

Hoje, as mulheres de toda Angola choram a tua partida, juntando as lágrimas que brotam em Cabinda, terra que te viu nascer, nas Lundas e no Bié, onde cresceste e deixaste a tua marca indelével de mulher revolucionária e nacionalista, forjada na entrega verdadeira à política e à cidadania, na escola do MPLA, da OMA e, nos últimos anos, na casa das leis, a Assembleia Nacional.

Mas, gostaríamos de ressaltar que permanecerá perene o teu exemplo, de Cabinda ao Cunene, do mar ao leste, nos comités da OMA no exterior, que tanto acarinhaste e que hoje também te choram, que, apesar da distância física, juntam-se a nós, de coração e alma, nesta última homenagem.

Parcas são as palavras, querida Alice, para preencher a dor que nos assola e a dimensão humana da tua trajectória.

É-nos muito difícil dizer adeus, neste momento, pela cumplicidade que nos uniu, em horas sem fim, em que preparávamos os nossos congressos, reuniões, encontros, missões e, nos momentos mais decisivos, em que traçávamos estratégias, para garantir a participação condigna e equitativa das mulheres nos órgãos de tomada de decisão, nos processos eleitorais e nas actividades cívicas e comunitárias.

Temos presente o teu engajamento nas iniciativas a favor da paz, da reconciliação nacional, do compromisso das mulheres, em serem a ponte da fraternidade, da solidariedade e do amor.

Sabemos que a vida é um ciclo, que se repete incansavelmente de chegadas e partidas, algumas das quais tão dolorosas e inexplicáveis, como esta que hoje enfrentamos e que ainda não conseguimos entender, tão grande era a tua vontade de viver, tão forte era a tua convicção que vencerias a doença que te assolou, tão profunda era a tua fé.

A nossa secretária-geral adjunta, a nossa camarada Alice Paulina Dombolo Chivaca, que nasceu a 27 de Novembro, na província de Cabinda e quis o destino que nos deixasse a 27 de Fevereiro, aos 52 anos de idade, na cidade de Londres, dois dias depois da abertura da jornada Março-Mulher, na província que por coincidência ela acompanhava, o Bié.

Uma nacionalista e servidora da Pátria que admirávamos muito, tal era a sua humildade e verdadeira faceta de uma mulher de bem e dedicada à causa da nossa organização.

A nossa camarada, que daqui a pouco regressa à terra, a morada definitiva de todos nós, era um exemplo de dedicação e entrega à causa da defesa dos direitos das mulheres.

Personalidade de nobres atitudes, Alice Paulina Dombolo Chivaca, destacava-se pela fidelidade aos princípios da OMA, pela firmeza das suas convicções políticas e por qualidades morais, só possíveis de observar em seres com a sua grandeza.

A nossa Alice suscitou a admiração e o respeito, especialmente daqueles que tiveram o privilégio de a conhecer, pelas suas invulgares capacidades intelectuais e humanas e pelo seu extraordinário dinamismo.

Na sua brilhante trajectória de 39 anos de militância no MPLA, a camarada Alice Dombolo, como era conhecida, deixou marcas profundas de patriotismo e abnegação.

A nossa camarada Alice Paulina Dombolo Chivaca foi uma destacada professora na organização e mobilização das mulheres, tendo formado várias gerações de jovens que hoje se orgulham, por terem passado pelas suas mãos.

Dirigente zelosa trilhou caminhos difíceis, tendo dedicado a maior parte do seu tempo à vida política, onde, por mérito próprio e reconhecimento das suas inquestionáveis qualidades, foi eleita membro do Comité Provincial de Luanda do MPLA, do Comité Nacional da OMA, do Comité Central do MPLA e eleita deputada à Assembleia Nacional, em 2008 e em 2012.

Sempre atenta às questões partidárias, foi membro muito activo e presente nas actividades do Grupo de Acompanhamento do Bureau Político às províncias de Luanda e do Bié, que acompanhou nos últimos anos.

Nunca é demais ressaltar que, nas diversas responsabilidades que assumiu, na Direcção da OMA, foi uma militante e dirigente exemplar, primando sempre pelo brio, profissionalismo e dedicação.

Intrépida militante, a camarada Alice Paulina Dombolo Chivaca, que foi secretária-geral adjunta da OMA e secretária para a Organização e Quadros até á data da sua morte, mesmo com a sua saúde debilitada não poupava sacrifícios e era incansável no cumprimento das missões que lhe eram acometidas.

A morte prematura da nossa camarada Alice Paulina Dombolo Chivaka deixa um enorme vazio no seio da nossa organização, cujo percurso inspirou e continuará a inspirar milhares de jovens e mulheres que almejam, tal como a nossa camarada Alice, contribuir para o desenvolvimento do país e para o engrandecimento da causa das mulheres, que são o suporte da Nação angolana. Estamos convictas que a sua obra e exemplo de vida serão perpetuados na nossa organização e nas nossas vidas.

A nossa Alice representou a OMA em vários eventos nacionais e internacionais, entre os quais destacamos reuniões da Organização Pan-africana das Mulheres, da Internacional Socialista de Mulheres e da Federação Democrática Internacional de Mulheres.

Casada com Manuel Belo Chivaca Mateus e mãe de três filhos, Atandele, Graciete e Nicha e avó de sete netos, a nossa querida Alice era católica praticante e frequentava a igreja de São José, ex-Carmelo da Paróquia da Nossa Senhora da Conceição - “Sé Catedral”.

Em várias ocasiões, evidenciou gestos de altruísmo, tendo prestado todo o seu apoio pessoal à igreja e à outros necessitados.

Camarada e amiga Alice, kamba de sempre e para sempre, como gostavas de dizer, é com incontida tristeza e um profundo sentimento de consternação que estamos todas aqui, representando as militantes da nossa organização, de Cabinda ao Cunene, para te prestarmos a última homenagem, porque tu mereces e conquistaste esse lugar nos nossos humildes corações, através dos conselhos amigos, nos momentos difíceis, dos gestos carinhosos, dos mimos que nos prestavas nas horas de aflição, mas, também, nas grandes alegrias.

Camarada Alice Paulina Dombolo Chivaca, que Deus te proteja, na sua plenitude e misericórdia infinita.

Adeus, nossa amiga e camarada.

Camarada Alice Paulina Dombolo Chivaca – Presente!

Camarada Alice Paulina Dombolo Chivaca – Presente!

Camarada Alice Paulina Dombolo Chivaca – Presente!”.

Veja todas as notícias